sexta-feira, junho 09, 2006

COPA DO MUNDO: DIRETO DA BOLA DE CRISTAL

Faltam poucas horas para o início da 18ª Copa do Mundo. E, diante de insistentes pedidos (que ninguém fez de fato, mas deve ter pensado), coloco minha cara a tapa e apresento a todo o planeta minhas previsões para o mundial da Alemanha.

PRIMEIRA FASE

GRUPO A: Aos trancos e barrancos a Alemanha vai terminar em primeiro, mas com um futebolzinho do tamanho do meu salário, coitada. Em segundo vai dar o Equador, não pelos méritos do país andino - que são escassos -, mas pelo, digamos, excesso de incompetência de Polônia e Costa Rica.

GRUPO B: A Inglaterra não terá muitas dificuldades para terminar na frente. A surpresa, pelo menos para os europeus, é que o envelhecido Paraguai vai superar a Suécia e ficará com a segunda vaga.

GRUPO C: A Argentina vai ficar na primeira posição desta chave, mesmo tendo de encarar partidas duríssimas. Assim, das duas uma: vai passar por essa prova de fogo e fazer uma grande Copa a partir das oitavas-de-final ou vai jogar as fases eliminatórias no bagaço, esgotada devido ao esforço inicial. Em segundo, por muito pouco, talvez no saldo de gols, chega a Holanda.

GRUPO D: Com alguma dificuldade a seleção portuguesa conseguirá se classificar em primeiro. Para a maioria, a outra vaga da chave é do México, mas não me surpreenderei se o Irã desbancar os mexicanos, que são mestres em amarelar nos momentos decisivos. Mas vai acabar dando México mesmo...

GRUPO E: A convulsão por que passa o futebol italiano tirou um certo favoritismo dos tricampeões mundiais neste grupo. Mas os italianos vão se classificar ao lado da República Tcheca. A ordem de chegada será definida no dia 22 de junho, quando a Itália e os tchecos vão se matar para não chegar em segundo e ter de enfrentar o Brasil nas oitavas. Vai sobrar para os eslavos.

GRUPO F: Com muita facilidade o Brasil vai papar a chave. O pega-pra-capar fica reservado para a luta pela segunda posição. Minha torcida é pelo Japão de Zico, mas Croácia e Austrália estão em condições de igualdade com os nipônicos. Não estou nem aí: vai dar Japão.

GRUPO G: A barbada está no campeão do grupo. Mesmo sem apresentar um bom futebol, a França abiscoitará a primeira colocação. Zidane não vai brilhar em mais que dois ou três lances, será quase sempre substituído na metade do segundo tempo, mas vai bastar para ajudar Les Bleus a avançar na Copa. No segundo lugar, surpresa: classificação para a Coréia do Sul.

GRUPO H: Espanha seguida da Ucrânia e não se fala mais nisso.

OITAVAS-DE-FINAL

A Alemanha vai vencer o Paraguai por um mísero gol de diferença.
A Inglaterra vai passear sobre a linha do Equador.
A Argentina vai mandar o México mais cedo pra casa pela semprésima vez.
Portugal x Holanda vai pros pênaltis. E o time do Felipão vencerá.
Infelizmente, a Itália vai despachar o Japão. Mas roubado!
O Brasil vai enfrentar alguma dificuldade no início, mas terá uma vitória tranqüila - controlando o jogo - sobre a República Tcheca.
Na prorrogação - e caindo aos pedaços - a França passará pela Ucrânia.
A Espanha vai se vingar da Coréia do Sul, que eliminara a Fúria com a ajuda do juiz em 2002.

QUARTAS-DE-FINAL

Alemanha x Argentina. Que jogão! Os donos da casa vão sambar. Ou, no caso, tangar.
A Itália vai se aproveitar das más condições físicas da França e terá a revanche de 1998.
Felipão contra os ingleses de novo, como em 2002 (Copa, com o Brasil) e 2004 (Eurocopa, com Portugal). Mas desta vez a Inglaterra é que vai despachar o time de Scolari.
Depois de abrir alguma vantagem, o Brasil vai levar uma pressãozinha da Espanha. Mas não correrá riscos.

SEMIFINAIS

Como em 1990, Argentina e Itália decidem vaga para a final. Jogo duríssimo. Empate no tempo normal. Nos pênaltis, mais uma vez os italianos tremerão. Hermanos en la decisión!
Já o Brasil pega uma superconfiante Inglaterra. A falta de poder de marcação do meio-campo inglês se revelará fatal para os planos dos súditos da rainha. O Brasil deve vencer por dois ou três gols de diferença.

FINAL

Uma inédita final de Copa do Mundo. A maior rivalidade do futebol mundial finalmente tem o palco que merece. Brasil e Argentina repetem o feito de 1930 e reeditam uma decisão de Copa totalmente sul-americana. No primeiro mundial deu Uruguai 4 a 2 sobre os argentinos. Em dia inspirado dos dois Ronaldos, de Adriano e Kaká, nossos brilhantes rivais não têm a menor chance. É chocolate, como na final da Copa das Confederações de 2005.

Brasil é hexa, com Ronaldo e Adriano empatados na artilharia do mundial (sete gols cada), novo recorde para o primeiro - maior artilheiro da história das copas, com 19 gols -, título de melhor jogador do mundial para Kaká, mas com honrosa menção às jogadas geniais de Ronaldinho Gaúcho. O capitão Cafu entra para o panteão dos deuses do ludopédio ao emplacar sua quarta final consecutiva, ganhar seu terceiro título e, como capitão, erguer, também de forma inédita, a taça em duas oportunidades.

O feito brasileiro se repetirá na África do Sul em 2010 - pois os europeus só vencem em seu próprio continente - e na Copa de 2014, que o Brasil vai sediar.

O quê? Quer saber quem vence a decisão do terceiro lugar? Não vou falar. Quem se importa com um jogo tão melancólico quanto desnecessário? Não vou desperdiçar meus poderes prevendo uma coisa tão chata.

2 comentários:

  1. Anônimo8:19 PM

    to contigo e nao abro!!
    bricio

    ResponderExcluir
  2. Camila3:34 PM

    hahahha...ficou engraçado isso...eu só não sou tão sonhadora assim de imaginar um Brasil e Argentina na final. Os hermanos não passam pela seleção mexicana, preparadíssima (na minha opinião). Aí sim, os mexicanos passam pelos fracos e empolgados alemães mas não pelos italianos. Eu sou Brasil x Itália na final desde já.
    Abraço!

    ResponderExcluir